21 Comments

  1. A televisão também pode ser usada como mídia social. Uma vez que um individuo possa se apropriar da mesma para falar algo de seu universo social . Sempre que uma mídia for apropriada por individuos no sentido de comunicar algo de sua realidade social para outros individuos então essa midia pode ser chamada ao meu ver de social. O jornalismo colaborativo é um exemplo de como a televisão está abrindo espaço para que a televisão se torne uma mídia mais social.

    Quanto ao trecho: “e que esse alguém consiga usar a mesma ferramenta para se relacionar com o primeiro.”

    Acho também que para ser midia social , não precisa ser esse meio necessáriamente interativo como você diz no trecho acima. Quando eu como individuo busca em uma midia uma opinião de um outro individuo , esta já uma fonte de mídia social.EU não preciso necessáriamente ter um espaço para comentar ou trocar ideias e posso também não ter acessível para meu uso está midia.

    Gostei muito do texto , me fez refletir os conceitos . Muito Bom . Se puderem fazer alguma consideração sobre as misnhas criticas ajudaria aprofundar o assunto. Afinal eu posso estar viajando nas minhas colocações 🙂

    • Moisés Costa Pinto

      Rapaz, juro que só tive tempo para responder seu comentário hoje, vai desculpando ai! rsrs
      Primeiro: valeu por comentar!
      Segundo: Você não está viajando não. Seu argumento é muito bom e concordo! O meu de que mídias social é uma ferramenta de mão dupla (“e que esse alguém consiga usar a mesma ferramenta para se relacionar com o primeiro”) era baseado na noção de Capital Social de reciprocidade na economia das interações dentro de redes sociais. Mas este também é um conceito que merece um estudo mais detalhado e pretendo fazê-lo em breve.
      Por outro lado, a televisão como mídia interativa, inclusive com inserções de mídias sociais, prova que o que está em voga é mesmo as interações sociais. Lembro agora de um artigo (não recordo o título ou autor – mas quando lembrar posto aqui as referências) que falava de tentativas de apropriação da TV como ferramenta interativa, já, desde os anos 60 com a participação ativa dos telespectadores. Fato é que até jornais impressos também estão se tornando mídias interativas com realidade aumentada, hiperlinks com QRCodes, etc. É fato, também, que com as possibilidades de interações as pessoas se sentem “tocadas” e as mídias conseguem um engajamento maior, consequetemente.
      É uma tendência? Não! É uma realidade.

    • Anonymous

      Rapaz, juro que só tive tempo para responder seu comentário hoje, vai desculpando ai! rsrs
      Primeiro: valeu por comentar!
      Segundo: Você não está viajando não. Seu argumento é muito bom e concordo! O meu de que mídias social é uma ferramenta de mão dupla (“e que esse alguém consiga usar a mesma ferramenta para se relacionar com o primeiro”) era baseado na noção de Capital Social ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Capital_social ) de reciprocidade na economia das interações dentro de redes sociais. Mas este também é um conceito que merece um estudo mais detalhado e pretendo fazê-lo em breve.
      Por outro lado, a televisão como mídia interativa, inclusive com inserções de mídias sociais, prova que o que está em voga é mesmo as interações sociais. Lembro agora de um artigo (não recordo o título ou autor – mas quando lembrar posto aqui as referências) que falava de tentativas de apropriação da TV como ferramenta interativa, já, desde os anos 60 com a participação ativa dos telespectadores. Fato é que até jornais impressos também estão se tornando mídias interativas com realidade aumentada, hiperlinks com QRCodes, etc. É fato, também, que com as possibilidades de interações as pessoas se sentem “tocadas” e as mídias conseguem um engajamento maior, consequetemente.
      É uma tendência? Não! É uma realidade.

      Abraços

  2. […] Moisés Costa retoma a discussão sobre a diferenciação entre redes e mídias sociais. “Como todos sabem, Redes Sociais são formações humanas que datam do início do que se conhece como nossa sociedade.  São notórias as discussões sobre este termo na sociologia e antropologia moderna, esta muito influenciada pelos estudos sobre etnografia desenvolvidos no último século sobre o comportamento de comunidades e seus indivíduos.” [leia mais] […]

  3. Claudia Grazziani

    Parabéns pelo artigo! Realmente, as Redes Sociais são antes de tudo “laços” que ligam pessoas, ferramentas usadas para que as interações das redes e até a construção delas aconteçam. Entre muitas, sugiro a TwigUP que utiliza uma ferramenta inédita de ligações, um arquivo pessoal onde o usuário insere seus amigos cadastrados ou não na rede.

    • Obrigado, Claudia.
      Tem uma frase muito boa que ouvi essa semana no SocialMedia 2011 do Marcelo Coutinho: “As pessoas se concentram muito no aspecto mídia e esquece do lado social” via  @mcoutinho

    • Anonymous

      Olá, Aline, tudo bem?

      qual artigo sobre “redes sociais”? Em tempo, todos foram escritos por mim.
      Obrigada pelo contato. Se puder ajudar em algo é só falar!

      Atenciosamente,

      Moisés Costa Pinto 🙂

      2011/11/24 Disqus

Comments are closed.